Índice que reajusta aluguéis tem deflação de 0,07% na segunda prévia do mês

O Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), que serve de referência para reajuste em contratos de aluguel, registrou queda de 0,07% na segunda prévia de dezembro. A taxa foi menor do que a observada no mesmo período do mês anterior (0,4%). No ano o indicador acumula alta de 5,15%.

De acordo com dados divulgados nesta segunda-feira (19) pela Fundação Getulio Vargas (FGV), o resultado foi influenciado pelo Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que passou de 0,44% para -0,38% no período. A principal queda foi verificada em matérias-primas brutas (de 0,65% para -1,81%). Ficaram mais baratos os itens minério de ferro (de 2,23% para -6,68%), milho em grão (de 0,13% para -6,70%) e soja em grão (de -1,45% para -3,36%).

Já o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) aumentou entre os dois levantamentos, passando de 0,3% para 0,59%. Seis das sete classes de despesa apresentaram acréscimo, com destaque para o grupo alimentação (de 0,3% para 0,84%). Pesaram mais no orçamento das famílias as carnes bovinas (de 1,13% para 4,3%) e as frutas (de 0,01% para 4,48%).

Também ficaram mais caros de um mês para o outro os itens dos grupos transportes (de -0,13% para 0,48%), vestuário (de 0,61% para 1,48%), saúde e cuidados pessoais (de 0,34% para 0,57%), despesas diversas (de 0,14% para 0,35%) e educação, leitura e recreação (de 0,35% para 0,38%). Apenas o grupo habitação (de 0,42% para 0,36%) registrou decréscimo em sua taxa de variação.

Último componente do IGP-M, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) também subiu, de 0,37% para 0,43%. O índice relativo a materiais, equipamentos e serviços registrou a mesma taxa apurada no mês anterior, 0,22%. Já o custo da mão de obra aumentou (de 0,52% para 0,65%).

Para calcular a segunda prévia do IGP-M, foram coletados preços entre os dias 21 de novembro e 10 de dezembro.